Shock Advertising: chocar para convencer

Imagine andar na rua e de repente se deparar com um anúncio de uma mulher segurando o corpo de um animal sem pele. Chocante, não? Pois é exatamente esse tipo de reação que a ”publicidade de choque” (Shock Advertising) procura causar no público. Este lado ousado da publicidade rompe com as normas propagandísticas por meio de imagens e slogans que fogem dos preceitos comuns dos anúncios. Os resultados geralmente culminam em peças de propaganda chocantes, capazes de fixar mensagens por muito tempo na memória do público.

É possível que seu navegador não suporte a exibição desta imagem.
Uma das primeiras campanhas inseridas no contexto da publicidade de choque foi a da marca italiana Benetton, concebida pelo fotógrafo Oliviero Toscani nas décadas de 80 e 90. Por meio de fotografias e montagens impressionantes e controversas, como a foto dos três corações em uma referência ao “anti-preconceito”, Toscani alavancou a imagem institucional da grife durante anos, a ponto de suas peças publicitárias serem mundialmente reconhecidas até hoje.

Por se tratar de uma publicidade perturbadora, explícita e muitas vezes grosseira, a propaganda de choque desafia a compreensão da mensagem pelo método convencional e corre o risco de causar impressões negativas, contrariando o seu verdadeiro propósito: chocar para convencer. Na maioria das vezes, esse tipo de campanha necessita do apoio de profissionais de Relações Públicas, aptos a responder às criticas e sustentar a imagem da marca quando o feedback é negativo.

No entanto, como no exemplo referido acima, no qual a cantora Sophie Bextor segura o corpo de um animal sem pele para uma campanha da PETA (organização dedicada aos direitos dos animais), este tipo de intervenção publicitária atua como agente diferenciador em campanhas de organizações não governamentais, em prol do meio ambiente e dos animais. Além de desenvolver mensagens de serviço público causando grande impacto, neste caso específico a publicidade chocante chama a atenção da sociedade através de imagens reais, com as quais a maioria da população prefere não ter contato. Pela repercussão e polêmica que esse recurso traz, talvez seja realmente a melhor maneira de chamar a atenção quando o assunto é sério; é um dos casos em que chocar realmente convence.

Nathalie Bonome

Diretoria de Comunicação

Anúncios

2 respostas em “Shock Advertising: chocar para convencer

  1. Sem dúvida choca, mas qual será a mensagem que fica??? A propaganda ou os direitos?? Há situações em que a pergunta é mais importante que a resposta. Gostei do artigo.Prof. Edson Gomes – SESI/SENAI

  2. Muito bom o texto!Acho que realmente há casos em que o choque é necessário!Uns dizem ser apelativo demais, mas é um dos únicos meios de se ter a noçao da realidade!parabens pelo blog meninas!!!!ta lindo!!!!Mari

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s