Uma câmera de celular, um Twitter e, com certeza, uma imagem prejudicada.

No dia 06 de agosto caiu na rede um vídeo que mostra o presidente Lula e o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, em uma situação embaraçosa com um garoto de, supostamente, 17 anos, que se apresenta como Leandro. No vídeo o rapaz aparece reclamando para Lula que não pode jogar tênis no complexo esportivo que recebia a visita do presidente, no Rio, ao que Lula responde: “tênis é esporte da burguesia”. Leandro também aparece dizendo a Lula que não pode nadar porque a piscina do local fica fechada durante os finais de semana. O presidente, então, recomenda a Cabral e sua equipe que coloquem duas pessoas para trabalhar lá aos finais de semana. “O dia que a imprensa vier aí e vir isso fechado, o prejuízo político é infinitamente maior do que colocar dois guardas aí”, diz Lula. Abraçado ao presidente, o rapaz conta que acorda com o “caveirão” (veículo blindado da Polícia Militar do Rio de Janeiro) na porta de casa. Nesse momento Sérgio Cabral interrompe perguntando “e o tráfico?” E, ao ouvir a resposta negativa do jovem, o governador diz: “deixa de ser otário, está fazendo discurso de otário”. Em um dia, o

vídeo teve mais de 3,2 mil visualizações.
Com a enorme repercussão que o vídeo teve por si só, é claro que não foi deixado de lado pelos adversários políticos de Cabral. O Twitter, como mais novo aliado dos políticos na luta por votos, também entrou na história. O vídeo foi divulgado no micro blog pelo candidato a Senador César Maia (DEM-RJ). Com a repercussão, o termo “Cabral” ganhou espaço nos Trending Topics do Brasil, lista de assuntos mais comentados na rede social.
A frase de Lula, de que o tênis é esporte da burguesia, causou indignação no meio esportivo e também foi comentada no micro blog. No Twitter, o ex-tenista Fernando Meligeni disse se tratar de uma declaração infeliz do presidente, afirmando ainda que Lula “pisou na bola”. Outra ex-tenista, Vanessa Menga, que ajuda crianças carentes a partir do tênis questionou, também no Twitter: “Será que ele quer que eu enterre meu instituto e pare com os projetos sociais?”.
Diante de uma situação como essa, é claro perceber como estamos sujeitos às tecnologias e mídias sociais que hoje nos cercam. Lula e Cabral sequer notaram que estavam sendo gravados por uma câmera de celular, se sentiram plenamente à vontade para falar o que bem lhes viesse à cabeça e acabaram nos Trending Topics do Brasil.
Armação ou não, esse pequeno deslize de falta de atenção por parte desses políticos poderá lhes causar um enorme prejuízo, afinal de contas estamos em ano de eleição e qualquer falha por parte do político é motivo para o eleitor mudar de opinião.

Camila Ribeiro
Diretoria de Comunicação
Anúncios

Uma resposta em “Uma câmera de celular, um Twitter e, com certeza, uma imagem prejudicada.

  1. Esse rapaz não me engana e não engana Cabral. Está na cara que ele estava ali para infernizar Cabral na frente de Lula. Mas a esperteza dele não foi tão boa assim. Sacana, e fez discurso de otário sim! Tem mais, se Cabral não se importasse com pobres, favelados e etc..não ampliaria as Upps e upas. não teria criado o NATA, NAVE e CVTs…projetos direcionado para os que não tem condições de pagar um curso profissionalizante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s