Comunicação Interna: ênfase nos colaboradores

Excelência não é um ato, mas um hábito. No mundo da comunicação essa filosofia aristotélica se encaixa perfeitamente. A comunicação, mais do que nunca, é um processo, não um evento. As mensagens precisam atingir corretamente o público-alvo e devem ser disseminadas via múltiplos canais para, de fato, serem ouvidas e, mais do que isso, memorizadas.

E como fica a comunicação interna sob essa perspectiva? Segundo um artigo do site PRSA (Public Relations Society of America), a criação de um programa eficaz de comunicação interna possibilita o alinhamento de estratégias de negócios, gera comprometimento dos empregados, potencializa a tecnologia e cultiva as ações que geram confiança. E novas estratégias para a antiga problemática da comunicação dentro das empresas estão a caminho.

Uma metodologia diferente utilizada no Baptist Health Care System, um hospital norte americano localizado na Flórida, traça as principais questões e fundamentos que conduzem à eficácia da comunicação interna. As técnicas desenvolvidas pelo departamento de comunicação do centro de saúde foram tão bem aceitas pelo público interno da instituição ao ponto de virarem um manual, o “Baptist Health Care Journey to Excellence”.
De acordo com a cartilha, um dos principais meios de atingir um nível máximo em comunicação interna é o comprometimento com a excelência do serviço. Uma boa comunicação interna possibilita a conexão do funcionário a uma maior realidade, uma vez que ele passa a ver e pertencer a toda organização e não apenas ao setor em que trabalha. É necessário, então, que a equipe de comunicação desempenhe um papel instrumental, garantindo que todos os canais estejam sendo utilizados corretamente com o objetivo de disseminar as mensagens. Ou seja, não basta somente criar a mensagem que será transmitida: é necessário testar a eficácia do sistema pelo qual ela será entregue.
Outro aspecto fundamental citado no manual é o desenvolvimento da cultura de prestação de contas de ambas as partes. Mais do que nunca, é necessário haver uma política de transparência por parte da empresa com seus funcionários. Somente a transmissão de informações claras e concisas a respeito dos acontecimentos da organização de fato irá atingir corretamente o alvo das mensagens. A partir disso, o colaborador passa a dar um feedback sobre as informações que recebe e, mais uma vez, passa a se sentir parte da organização pela qual trabalha, contribuindo com o desenvolvimento geral da empresa.
Atingir um bom nível em comunicação interna não é tarefa fácil. Pelo contrário, é o grande e constante desafio de muitas empresas. É preciso muito planejamento e execução. Um programa estruturado de comunicação interna constitui a base para a resolução de conflitos e para o trabalho em equipe. Trata-se de promover uma conexão, criar um vínculo entre e com os colaboradores. Ainda hoje, alguns gestores colocam essas estratégias em um patamar inferior, valorizando outros tipos de ações ou atividades dentro da empresa. Afinal, para muitos a comunicação é algo “enraizado” nos seres humanos e não necessita de investimento. Mal sabem eles o grande poder e os ótimos resultados – inclusive financeiros – que o bom fluxo comunicacional pode proporcionar.

Nathalie Bonome
Diretoria de Comunicação

Anúncios

2 respostas em “Comunicação Interna: ênfase nos colaboradores

  1. É realmente muito pertinente esse assunto. A colocação no fim do texto sobre como as ações de comunicação para o público interno podem gerar retorno considerável para a organização foi muito interessante. Parabéns pelo post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s