Mas afinal, o que é e para que serve um Plano de Marketing?

Hoje em dia, muitas empresas se veem inseridas no mercado, mas por que será que algumas se destacam e se tornam líderes do segmento e outras permanecem sempre estagnadas, quando não fracassadas?

Percebe-se cada vez mais que não adianta ter apenas um bom produto ou serviço sem ter uma estratégia de como comercializá-lo de forma adequada e eficaz. Para que se trace tal estratégia, é necessário elaborar um planejamento envolvendo pontos fortes e fracos tanto da empresa como do produto ou serviço inserido no mercado, além de perspectivas a curto, médio e longo prazo.  

O “Plano de Marketing é o documento que formula um plano para comercializar produtos e serviços.” (Wetswood, 1996, p. 12). Ele requer planejamento para que a empresa decida quais os melhores recursos para atingir os objetivos determinados. Além disso, é interessante ressaltar que nos dias atuais é preferível optar pelo planejamento estratégico ao invés do tradicional, visto que no tradicional presume-se que os dados e formulações de táticas estejam todos disponíveis logo no começo de um processo, sendo que, no estratégico, estuda-se e planeja-se conforme as informações forem aparecendo no decorrer do processo. Ainda em relação a isso, um bom planejamento deve atentar-se ao estudo de aspectos culturais, ambientais, sociais, entre outros fatores que influenciarão direta ou indiretamente no rumo de ações e abordagens.

Em relação às etapas para a elaboração de um Plano de Marketing consistente, é necessário que, primeiramente, se estabeleçam os objetivos mercadológicos, quanto, em porcentagem, a empresa deseja crescer semestral ou anualmente, entre outros. A partir de então, parte-se para a análise externa, em que é estudado o mercado ao qual o produto ou serviço está inserido, incluindo vantagens e desvantagens em relação aos seus concorrentes, além de observar fatores econômicos atuais. Finalizada esta etapa, dá-se início à análise interna, em que a empresa se volta para si mesma e determina os aspectos de seus produtos e serviços detalhadamente, definindo pontos fortes se fracos.

Para a união do estudo das concorrências com a definição de pontos fortes e fracos dos produtos e serviços oferecidos no mercado, dá-se o nome de “PFOA – Potencialidades e fragilidades conforme se relacionam às nossas oportunidades e ameaças no mercado”. Esta análise é de fundamental importância para que a empresa saiba qual é seu real posicionamento no mercado, para que se defina, então, seu público-alvo e as estimativas para se alcançar o objetivo desejado.

Traçado todos os pontos, elabora-se, enfim, o desenvolvimento das melhores estratégias e o plano de ações, que serão muito mais diretas e eficazes devido à base sólida constituída por aqueles que se preocuparam em se fixar e obter sucesso no mercado.

Por fim, as empresas atuais e bem sucedidas se mostram cada vez mais flexíveis em relação à mudança de suas abordagens e adequações de seus produtos e serviços, pois descobriram que o público pede e espera por isso. 

Fonte:

Wetswood, John. O plano de marketing. Tradução de José Carlos Barbosa dos Santos. Atualização, revisão técnica e questões Arão Sapino. – São Paulo: Makron Books, 1996 – 2ª edição.

Suelen Kanashiro

Diretoria de Relações Comerciais

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s