As Relações Públicas e a Gestão do Conhecimento como inteligência competitiva para as organizações

A Teoria do Caos, que surgiu, inicialmente, aplicada às ciências naturais, tentando entender as relações complexas de causa-efeito existentes no ambiente natural e que a visão reducionista já não era mais capaz de explicar, tomou forma adaptada para o contexto das relações sociais. Esta nova aplicação, que busca entender o ambiente com múltiplos agentes que interagem, reagem e se adequam às novas condições criadas pelos próprios agentes, é também aplicada ao contexto das organizações. Deste modo, desenvolveram-se estudos que procuram elucidar o modelo contemporâneo de gestão e como as organizações devem lidar com a dinâmica dos mercados e sociedades modernas (ou pós-modernas).

Paralelo aos estudos da Teoria do Caos, porém se mostrando como uma ferramenta cada vez mais essencial às organizações está a Gestão do Conhecimento. Este conceito, que envolve setores de Recursos Humanos (ou Gestão de Pessoas, como sugere a psicologia organizacional moderna), T&D (Treinamento e Desenvolvimento) e Comunicação, tem a finalidade de gerir o conhecimento da organização de forma a transformá-lo em vantagem ou inteligência competitiva, tornando a empresa um ambiente de constante aprendizado tácito e explícito que busca desenvolver a técnica e estimular a troca de conhecimentos entre seus colaboradores.

Devido a esta integração informacional entre setores a organização terá grande agilidade para se adaptar a mudanças, pois o conhecimento passa a ser de posse da empresa, não dependendo mais de funcionários especialistas em determinados assuntos que, quando deixam a organização demoram muito tempo para serem substituídos de fato, e tornando todo seu quadro de empregados capaz de executar qualquer função de acordo com a necessidade do momento da empresa. Ou seja, a Gestão do Conhecimento tem como consequência à sua aplicação na organização, tornando-a mais flexível estruturalmente, tornando viável a rápida alteração das estratégias da empresa para que ela possa ser inserida num novo contexto.

E é justamente nessa intersecção entre as Teorias do Caos e da Gestão do Conhecimento que se insere o relações-públicas. Como uma de suas várias facetas, o profissional de Relações Públicas deve atuar no nível estratégico, conciliando estes dois conceitos para tornar a organização onde atua competitiva e capacitada para poder interagir com seu ambiente, com seu mercado e com seus públicos de forma adequada à realidade atual destes contextos. Sua função enquanto gestor exige que ele seja capaz de trabalhar e promover o desenvolvimento do conhecimento organizacional de sua empresa e também seja capaz de antecipar cenários, identificando as melhores oportunidades para a corporação a fim de potencializar suas estratégias e maximizar sua atuação.

Desse modo, podemos concluir que sua condição estratégica exige que o relações-públicas tenha uma visão holística para que possa planejar ações e executá-las de forma adaptada ao ambiente e às metas de sua organização, sendo que um fator importante para que isso ocorra seja exatamente esta capacidade de pensar de forma abrangente e buscar soluções flexíveis e adaptáveis para melhor condicionar sua organização nas mudanças constantes e cada vez mais rápidas da sociedade. Para tal, podemos afirmar que tanto a gestão do conhecimento quanto a Teoria do Caos são ferramentas importantes para o relações-públicas atuar de forma sistêmica e estratégica buscando atingir seus objetivos organizacionais no contexto globalizado que o mundo atual propõe de forma sólida e consistente, mesmo em meio à aparente desorganização do mercado atual.

Mateus H. Nascimento

Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento

Referências:

MUNDIM, Ana Paula Freitas. Desenvolvimento de produtos e educação corporativa. São Paulo: Atlas, 2002.

CÂNDIDO, Karina B. O Marketing e as incertezas de uma sociedade complexa. 2009. Monografia para a conclusão do Curso de Especialização em Marketing. Universidade Paulista – UNIP, Campus de Bauru. Bauru, 2009.

OLIVEIRA, Thiago Mainieri. Caos e complexidade: Um novo olhar sobre as Relações Públicas. In: XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2003, Belo Horizonte.

BALDISSERA, Rudimar. Reflexões sobre Comunicação, Relações Públicas e Complexidade. In: I Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas, 2007, São Paulo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s