Mídias sociais: o papel do coolhunter na web 3.0

Popular entre os profissionais de moda e design, a prática do coolhunting surgiu na década de 90 com o objetivo de identificar as tendências que ganhariam espaço no futuro, através da observação e pesquisas de comportamentos, hábitos e atitudes dos consumidores no presente.

O “caçador de tendências” tornou-se um diferencial para as organizações, não só pelo fato de saber o que seu público deseja como também para a construção de um planejamento estratégico adaptável às mudanças previstas.

Além de prepararem-se melhor para oportunidades e ameaças, as empresas que se apoiam em informações inovadoras e constantemente atualizadas garantem mais insumos para desenvolver produtos, serviços, campanhas e nortear suas ações estratégicasdiz Renata Cerqueira, no livro Mídias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões.

Mas e na era em que a internet tornou-se o pilar das relações humanas, que as informações se confundem meio a tanta dinamicidade e as redes sociais se transformam em grandes centros de comportamentos. Será que o coolhunter ainda é necessário na web 3.0, onde as informações chegam a você sem que você tenha que procurá-las? Bom, com as mídias sociais o trabalho do coolhunter foi facilitado, mas não excluído. 

“O coolhunter é, acima de tudo, uma pessoa bem informada, atenta, curiosa e sensível, capaz de raciocinar de forma não linear e com base em informações desestruturadas”, diz Flávio Ferrari, diretor executivo do IBOPE.

Todas as informações e comportamentos necessários para se prever uma tendência estão à mercê dos olhos de qualquer um que acesse os atuais canais de relacionamento, portanto, mais do que nunca, as qualidades citadas acima serão essenciais para que o coolhunter não só faça a diferença na organização em que atua, como também se diferencie entre a multidão.

E não é tudo.  Com as mídias sociais e seu crescimento ininterrupto, as plataformas de observação deste profissional mudaram, tornaram-se mais dinâmicas, detalhadas, divididas entre diferentes objetivos e são criadas em um número cada vez maior. Não basta mais observar um consumidor na rua sem ter visto suas postagens em um blog ou suas atualizações no Facebook. Por isso o coolhunting está cada vez mais ganhando espaço nas Relações Públicas, por necessitar de um profissional que não só seja “antenado” como tenha know-how para a elaboração deste trabalho.

Com este novo modo de concentrar opiniões e observar comportamentos, será que o trabalho do coolhunter tornou-se mais fácil pelo fato dos desejos e atitudes dos consumidores estarem disponíveis de forma mais clara e visível através das mídias sociais ou mais difícil devido ao excesso de informações e constantes divergências entre os usuários sobre os assuntos do presente? A resposta está no modo como os profissionais aproveitarão o crescimento e as oportunidades que as mídias sociais dão diariamente, envolvendo a coleta, análise e mensuração de dados, aliadas à essência da profissão.

Amanda Valença

Diretoria de Comunicação

REFERÊNCIAS

CERQUEIRA, Renata. Coolhunting: utilizando as mídias sociais para identificar tendências. In. DOURADO, Danila. Mídias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões. 2010.

SANCHEZ, Gabriel. Profissão: cool Hunter – Saiba Mais! Disponível em: http://www.profissaomoda.com.br/materia/3277/profissao_cool_hunter_saiba_mais.html. Acesso em: 10 jan 2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s