Relações Públicas e Comunicação Visual

O que seria da imagem das organizações se não fossem os elementos visuais associados a ela?

Enganam-se aqueles que pensam que os elementos visuais são responsabilidade apenas dos designers. É evidente que o conhecimento desses profissionais é indispensável para a construção harmônica e associativa oferecida através do apelo visual, que vai muito além do domínio do Photoshop, mas é preciso ter em mente que a comunicação é um ambiente amplo e que exige a junção de ideias e a parceria das diversas áreas que nela estão inseridas. Radialistas, designers, jornalistas, publicitários, relações públicas e todas as demais vertentes que estudam a comunicação são indispensáveis para um trabalho completo e de qualidade, e isso inclui a comunicação visual.

Mas, o que os relações públicas têm a ver com a identidade visual e no que podem ajudar? Na verdade, algumas instituições de ensino superior fornecem matérias como Comunicação Visual para o curso de Relações Públicas. Estratégias de comunicação visual não são novidades nesse mundo e a tarefa deste profissional na área é diferente das dos demais. Observe a foto abaixo:

A foto mostra um trecho da Times Square, em Nova Iorque. Tudo o que é relacionado às marcas é visual. As cores, formas, tipografia, tamanho, pessoas ou logotipos utilizados buscam, de alguma forma, prender a atenção do consumidor e marcar. A disputa por espaço é muito grande, como pode ser vista, e, portanto, a estratégia tem que ser exata. 

Campanhas com forte apelo visual necessitam, também, das fases de planejamento, identificação do público-alvo e pesquisas a fim de se conhecer quais peças e onde utilizar, prezando pela qualidade do trabalho e constante associação da marca com a imagem. Isso inclui pontos básicos como a linha, a forma, tom de cores, texturas, dimensões, movimento e elementos da composição.

Mas quando um relações públicas pode trabalhar diretamente com elementos visuais?

Selecionamos aqui três pontos mais interessantes, mas a atuação do profissional de RP na área é bem mais ampla. Em uma entrevista com um cliente, por exemplo, a comunicação visual pode ser determinante para o fechamento de um contrato.

É importante que no momento da reunião com o cliente, o relações públicas possa apresentar algo concreto, físico, visual para que o cliente possa tocar um produto já desenvolvido. Ao mesmo tempo, os produtos demonstrados não devem ser meras propagandas da empresa.

Outro ponto visual a ser apontado, e isso vale também para apresentações em geral, é ser dinâmico. Não fique parado falando, movimente-se e articule-se enquanto fala. Além de prender a atenção do cliente, passa maior desenvoltura e domínio do que está sendo falado.

O vídeo abaixo fornece algumas dicas para criar apresentações mais modernas e dinâmicas. Confira!

 Outra ferramenta visual bastante funcional para as práticas das relações públicas é o storytelling. Confira abaixo o vídeo produzido que conta a história de Johnnie Walker – The Man Who Walked around the World.

O storytelling é uma forma de contar histórias a partir de elementos visuais com o objetivo de atrair a atenção do público. É uma estratégica que humaniza conceitos, aproximando a história da organização com a do consumidor, que passa a se envolver com a trajetória da empresa. É um modelo de comunicação envolvente e crítico, que age sobre informações concretas a respeito da marca e transforma conquistas e desafios em uma peça publicitária, sem vender a marca explicitamente.

Além do contato com o cliente e do storytelling, o profissional de RP lida com a comunicação visual através de eventos. O uso embasado de uma cor ou outra, das fontes, da posição e da movimentação dada à peça, por exemplo, contribui para que o evento ganhe sua própria identidade. Observe a diferença da comunicação visual de dois eventos com público-alvo e abordagens distintos. A primeira, pretende caracterizar o público geek, e a segunda divulga o festival do Japão, utilizando-se de elementos orientais.

O vídeo abaixo mostra um case de sucesso e demonstra como um apelo visual é, às vezes, tão importante ou mais do que o conteúdo.

O RP está presente em toda a construção de identidade visual e pode se munir de artifícios visuais para construir ou desconstruir a reputação das organizações. É um trabalho em equipe, mas que pode dar errado e, se isso acontecer,Que tal gerir uma crise?

Thiago Siqueira

Diretoria de Comunicação

Fontes:

Blog a Bordo

IFD Blog

Craigpearce

Prchannel

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s