Você sabe qual a finalidade de uma incubadora de projetos culturais?

Uma ideia não é um projeto. As incubadoras sabem bem disso. Atualmente, 98% dos empreendimentos brasileiros são micros e pequenas empresas e quase 80% delas fecham antes de completar um ano. Isso acontece devido à falta de planejamento, altas cargas tributárias e ao grande número de concorrência e, com a atuação das incubadoras junto a essas empresas, a probabilidade que a empresa venha a fechar é minimizada.
Compete à incubadora orientar na gestão e gerenciamento do negócio, estabelecer consultorias e assessoria técnica para o desenvolvimento de projetos, auxiliar na capacitação dos membros, na captação de recursos nos negócios socioculturais, estimular a criação e o desenvolvimento e demais ações que direcionem a organização à sua autossustentação.

Na economia da cultura, o panorama não é muito diferente das micro e pequenas empresas. Os gestores culturais também encontram diversas dificuldades para levar seus projetos à frente. Na maioria das vezes, tais projetos dependem das leis de estímulo à cultura onde, para conseguirem apoio e captação de recursos, devem se adequar aos editais abertos pelo governo federal. A problemática maior em lidar com esse tipo de projeto é conciliar a produção de cultura e a inovação com prazos, inseri-los nos editais que são muito segmentados e burocráticos e, posteriormente, chegar à autogestão.

A incubação cultural trata-se, portanto, de uma via de mão dupla: quem a fomenta está contribuindo para o nascimento do projeto e, contudo, deve saber respeitar as ideias dos artistas e grupos de produção cultural. Por outro lado, os artistas e grupos que levam suas ideias às incubadoras, devem pesar sua relevância e capacidade de gerar impacto e de poder aglutinador para a região onde quer ser inserido e são provocados à repensar a viabilidade do projeto.

A incubação oferece, deste modo, um grande suporte para transformar as ideias em produtos e geração de desenvolvimento, tanto econômico quanto simbólico. O relações-públicas possui grande relação com essa área, pois sua formação o vincula diretamente às necessidades das incubadoras – gestão estratégica e de pessoas – e ninguém tem nada a perder. O tempo de incubação costuma ser de dois anos, que trarão resultados positivos para os dois lados, pois através das relações de alteridade e do ativo intelectual possibilita um desenvolvimento sustentável e a visão do processo de consolidação de um negócio.

Giovanna Preti

Diretoria de Projetos

FONTES:

Incubadora Cultural 

Incubadora COPPE – UFRJ

Incubadora Compete – UFBA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s