Suco ADES deixa a dúvida: até que ponto se pode confiar nas organizações?

Na metade do mês de março, para infelicidade da marca Ades, pertencente ao grupo Unilever, foi constatada a contaminação por produtos de limpeza em algumas unidades da marca.

Segundo relatório oficial, 96 unidades dos sucos de soja Ades maçã, Lote AGB 25, produzidos no equipamento TBA3G no dia 25 de fevereiro deste ano, estariam contaminados com sódio 2,5 %, utilizado para higienização das embalagens. Estes produtos teriam sido comercializados, consumidos, e estariam causando problemas com alguns clientes que já teriam relatado queimaduras causadas pela ingestão do suco.

Embora a empresa afirme que apenas um único lote estaria contaminado, por determinação da Anvisa, todos os sabores dos sucos estariam com a linha de produção paralisada. Além disso, a empresa teria sido intimada a cumprir uma série de determinações legais como revisão de todos os equipamentos, sensores e softwares do processo Ades, além da introdução de um dossiê diário de liberação de qualidade.

Porém, toda ação tem uma reação, e quando se trata da falha de uma grande empresa em uma época onde o Facebook é tão presente na vida das pessoas, essa reação pode ter muito mais repercussão. Foi o que aconteceu quando a primeira notícia sobre a contaminação começou a circular nas mídias e a incitar a criatividade dos internautas, que não demoraram a mostrar suas opiniões e criar maneiras de expor esse deslize da marca, ainda que de um jeito bem humorado. Montagens engraçadas com certa dose de ironia foram feitas e, devido ao caráter viral do site de relacionamentos, foram facilmente disseminadas em um curto período de tempo, fazendo com que o problema fosse divulgado e tomasse proporções muito maiores.

Imagem

Imagem

1.Montagens satirizando o problema causado pela contaminação do suco com solução de limpeza.

Nota-se, neste fato, a grande capacidade atual que os consumidores dispõem para propagar opiniões, críticas e a sua visão sobre qualquer marca ou produto, e fazer com que sua publicação se alastre e atinja um número de pessoas nunca antes imaginado, causando grandes problemas para as organizações. Pesquisas divulgam que grande parte da formação de opinião dos cidadãos com acesso à internet é, em sua maior parte, construída por comentários e visualizações de postagens que são feitas na rede.

Por essa razão, cada vez mais, se investem em profissionais responsáveis por cuidar das mídias da empresa, criar conteúdos pertinentes e de interesse de seus públicos, divulgar a marca, estar pronto para responder a indagações e, além disso, monitorar o quanto se fala de sua organização dentro do cyberespaço.

Pode-se perceber que, quanto  a isso, a marca Ades não está deixando a desejar. Pronunciamentos foram feitos dentro da fanpage Ades Brasil, explicando o ocorrido a seus clientes e, fora isso, dando orientações de como identificar o lote de produtos contaminados para que estes possam ser devolvidos sem causar mais problemas.

Imagem

2.Postagem feita na fanpage Ades Brasil com esclarecimentos e indicações aos consumidores

Além dessa manifestação, a Unilever já concedeu comunicados e entrevistas pedindo aos consumidores ajuda para o recolhimento de todas as embalagens contaminadas, informando que o problema foi pontual e que eles já estão trabalhando para resolvê-lo. A organização está prestando todo tipo de ajuda às pessoas que sofreram danos, oferecendo atendimento e acompanhamento médico e afirmando que está com uma “grande equipe que inclui SAC e time de vendas para que o restante dos produtos seja recolhido o mais rápido possível”.

Todavia, embora a empresa esteja cumprindo com todas as suas obrigações quanto ao atendimento dos clientes prejudicados e lutando para ser o mais transparente possível, é notável que a imagem e credibilidade do produto estão demasiadamente abaladas. Por mais que os devidos esclarecimentos estejam sendo prestados, renovar a confiança das pessoas em relação à marca será um grande desafio, pois, inegavelmente, a grande questão não deixa de perturbar todas as pessoas: “Até que ponto todas essas grandes empresas com seus inovadores aparatos tecnológicos que deveriam funcionar adequadamente e responder às expectativas, podem nos proporcionar qualidade?”

Paola Ramos

Diretoria de Projetos

Fontes:

G1

The Christian Post

Fotos e Notícias

Terra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s