Júnior Gigante

Imagem

Afinal o que é ser Júnior? O movimento das empresas juniores iniciou na Europa, quando estudantes da Escola de Economia e Negócios da França fundaram a primeira empresa júnior do mundo, no ano de 1967.  O principal objetivo era aliar a teoria aprendida em sala de aula com a prática, ainda no período de formação universitária.

O movimento no território francês foi muito bem sucedido, se espalhando pelos cursos de administração, agronomia, comunicação, engenharia e posteriormente, por toda a Europa. Atualmente existem mais de 290 Empresas Juniores representadas pela Confederação Europeia de Empresas Juniores (JADE).

No Brasil, em 1988, uma parceria com a Câmara de Comércio Francês fez com que o conceito chegasse às universidades daqui, sendo a Fundação Getúlio Vargas a pioneira na criação e posteriormente, a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Possuímos, atualmente, mais de 2300 instituições brasileiras, entre públicas e privadas, que oferecem aos seus graduandos a possibilidade de atuar neste tipo de projeto. A Confederação Brasileira de Empresas Juniores (Brasil Júnior) tem como objetivo dar suporte aos pequenos empreendedores, fomentando seus projetos e auxiliando em suas necessidades em mais de 14 Estados brasileiros.

Uma empresa como esta atua sem fins lucrativos, é formada por alunos do nível superior e tem como visão, além de proporcionar ao graduando contato com a prática, estreitar o relacionamento dos alunos com o mercado de trabalho, desenvolvendo espírito empreendedor, de liderança e trabalho em equipe. Os projetos pelos empresários realizados contam com apoio de docentes e tem como diferencial, além do preço abaixo do mercado, uma técnica de elaboração atualizada, que resulta em projetos modernos e atrativos.

Imagem

Atual gestão da Empresa Júnior de Relações Públicas, 2013

Ao saírem das empresas juniores, os graduandos apresentam grande potencial para novos empregos, pois além da lista de networking que o trabalho proporciona por colocá-los em contato com outros empresários, as EJ’s são formadas exclusivamente por universitários, o que faz com que se tenha a oportunidade de desenvolver o espírito crítico e de criação, favorecendo a pesquisa,  o que difere daqueles que muitas vezes se deparam, geralmente em seus primeiros empregos, com um trabalho que prioriza a técnica e às vezes, apenas a execução. Sendo assim, é um grande diferencial nas entrevistas de contratação para aqueles que apresentam essa habilidade de desenvolver raciocínio e criação.

Muitas vezes, o ingresso em uma empresa júnior conta com um árduo e competitivo processo seletivo, além de intensa carga de trabalho. Ser um empresário júnior com certeza é um diferencial, mas é preciso lembrar de que a base teórica vista na grade curricular é de extrema importância para a execução do trabalho, fora o grande esforço que se deve fazer dentro da empresa. Pró-atividade e busca pelo aprendizado é o que faz com que um empresário júnior tenha, de fato, uma bagagem diferenciada para enfrentar as dificuldades encontradas na profissão e conseguir desenvolver seu potencial profissional em futuros empregos.

Julia Yamaguchi Ferreira 

Vice-Presidente

Fontes:

Brasil Júnior

Jade

Info Júnior Unesp

Fejesp

Anúncios

As ideias que não terminam!

Afinal, quais são as ideias que nunca terminam?

 A Agência Propagação – Agência Experimental de Propaganda Social da Unesp – trouxe para o câmpus de Bauru, nos últimos dias 26, 27 e 28 de setembro, a realidade do mercado publicitário. A Propagação é um projeto de extensão orientado pela Professora Doutora Lucilene Gonzáles e conta com a participação de alunos dos cursos de Jornalismo, Rádio e TV, Relações Públicas e Design.

O que tem a ver um evento de publicidade em uma universidade que não oferece esse curso aos estudantes? Tudo! O UnesPP é um evento idealizado e organizado pelos membros da Agência Propagação, onde os alunos procuram descobrir como suas atividades podem agregar à área de publicidade e propaganda de forma conjunta e multidisciplinar.  É um modo de enxergar a comunicação como um time, onde cabeças com diferentes visões teóricas e práticas podem aplicar seus conhecimentos gerando e compartilhando muitas ideias diferentes e criativas.

A Agência Propagação tem a intenção de agregar, e não segregar, as áreas de conhecimento da comunicação. Os alunos têm contato com diversas atividades e funções, contribuindo de forma muito mais completa à formação acadêmica e humana, e o UnesPP reflete esse conceito. Portanto, se você não foi ao evento por não ser publicitário, é melhor tomar cuidado. Tem muita gente por aí que já percebeu que o mercado de trabalho procura por pessoas engajadas, que pensem fora da caixa, que saibam um pouco de tudo e saibam inserir seu papel nos mais variados contextos… Essas pessoas são concorrentes fortes.

E para satisfazer esse perfil de graduando que busca novos conhecimentos e experiências, a primeira edição do evento contou com a participação dos palestrantes André Rabanea, Andre Petráglia, Celso Figueiredo, Edmilson Cabelo e Paulo Razera, que abordaram temáticas como criatividade; branding, limites da publicidade, além do marketing verde e social. O evento contou também com oficinas de DreamWeaver; roteiro e criação publicitária; Illustrator; Fotografia; Photoshop e mídias sociais.

Além da escolha de profissionais atuantes no mercado da publicidade, a Agência procurou abordar o público de maneira diferente e criativa. Com o slogan “O evento termina, suas ideias não”, várias chamadas foram postadas no Facebook da Agência, estimulando a presença no evento com frases parodiadas.

Durante o evento os ouvintes podiam participar de intervenções fotográficas, em que escreviam ideias em um balão e tiravam fotos, publicadas posteriormente nas mídias da Propagação. O gerenciamento das mídias provocou movimentação e foi possível conferir muitos comentários positivos sobre o evento, gerando resultado quase instantâneo após o primeiro dia de palestras.

Quem quiser saber mais sobre a organização do evento ou sobre o projeto pode curtir a página da Agência Propagação no Facebook. Lembrando que o UnesPP é um evento apoiado e acreditado pela RPjr!

Thiago Siqueira

Diretoria de Comunicação

Trote Solidário RPjr 2012

As aulas já voltaram para uns e começaram para outros… Todos curtiram as primeiras semanas, as festas, os trotes, a universidade. Mas, agora está na hora de retribuir para a sociedade tudo o que em nós é investido.

Pensando nisso a RPjr realiza o V Trote Solidário, projeto que pretende integrar os calouros com os demais alunos da universidade, desmistificar a ideia de trote violento e, principalmente, incentivar e possibilitar a participação em uma causa social, no caso, a doação de sangue.

O projeto, que acontece desde 2008, é uma realização da RPjr com o apoio da Agência Propagação, da Locomotiva, da Jornal Jr, do DAFAE e da Comissão de Recepção dos Calouros de Relações Públicas, além disso conta também com o patrocínio da Atlética da Unesp Bauru, da Unimed, da Skill Idiomas, da 96 FM e do Flipper Lanches.

No quinto ano da iniciativa insistimos na importância da conscientização e da doação de sangue. O sangue é composto de células responsáveis pela oxigenação e defesa do organismo, por exemplo. Não há nenhum outro componente que possa substituí-lo, por isso a necessidade de tê-lo disponível nos hemocentros para quem precisa.

A doação de sangue não poderá ser feita se:

  • Tiver idade inferior a 16 anos ou superior a 67 anos;
  • Tiver peso inferior a 50 quilos;
  • Estiver com anemia no teste realizado imediatamente antes da doação;
  • Estiver com hipertensão ou hipotensão arterial no momento da doação;
  • Estiver com aumento ou diminuição dos batimentos cardíacos no momento da doação;
  • Estiver com febre no dia da doação;
  • Estiver grávida;
  • Estiver amamentando, a menos que o parto tenha ocorrido há mais de 12 meses.

Essas foram algumas das principais causas que impossibilitam a doação de sangue, entretanto há alguns casos que serão definidos na triagem.  Mais informações no site do governo do Estado de São Paulo: http://www.prosangue.sp.gov.br/doacao-de-sangue/quem-nao-pode-doar.htm

Em 2012 a doção será feita Hemonúcleo de Bauru, no dia 20 de março. Disponibilizaremos ônibus saindo da Unesp e do Flipper  às 9h30min e às 14h.

Conheça mais sobre o projeto e doação de sangue e curta a nossa página no Facebook: http://www.facebook.com/pages/Trote-Solid%C3%A1rio-RPjr/377566962259855

            Trote Solidário 2012, uma iniciativa sua com o apoio de todos nós.

Mãe, passei!

O ano começou e as universidades começaram a divulgar a lista de aprovados para o vestibular. Foram anos de estudo para alcançar um sonho, que agora se tornou real. O resultado é claro: APROVADO!

O resultado dos calouros aprovados na primeira fase do vestibular da Unesp foi divulgado no dia 28 de janeiro. Dia em que o coração de muitos jovens bateu mais forte, de alegria ou de tristeza. Para aqueles que não passaram, cabe o incentivo de tentar de novo. Já para os aprovados, é tempo de transformações! O ingresso na faculdade pública carrega consigo muitas responsabilidades e desafios como morar longe da família, fazer novos amigos e garantir o crescimento profissional e pessoal.

A universidade pode proporcionar ao aluno o contato acadêmico fundamental para construir as bases de sua formação. A grade curricular dos cursos contribui para o aperfeiçoamento de um profissional mais preparado para lidar com os obstáculos que encontrará no mercado de trabalho. Porém, muitas coisas não são aprendidas dentro da sala de aula. É necessário envolvimento, interesse e força de vontade para se tornar um profissional completo e pronto para lidar com adversidades. O envolvimento com projetos extracurriculares é, sem dúvidas, um grande diferencial e um ótimo caminho para aqueles que buscam associar a prática ao teórico.

O Professor Doutor José Carlos Marques comenta a respeito desta importância: “A complexidade dos meios de comunicação e as diferentes possibilidades de difusão da informação na sociedade contemporânea passaram a exigir profissionais mais bem capacitados para lidar com o novo mundo. Atenta a esse dinamismo, a Academia – sabedora que o ambiente da sala de aula não é suficiente para a formação do aluno – passou também a oferecer novas possibilidades de atuação de seus alunos, para além do próprio ensino. Daí a importância que assumiram nas últimas décadas as atividades de pesquisa (como a iniciação científica) e de extensão, financiadas pela universidade. É nesse tripé (ensino-pesquisa-extensão), portanto, que se desenha o trabalho das instituições de ensino comprometidas com o aperfeiçoamento da sociedade, como é o caso da Unesp. É a partir deste tripé que a Professora Doutora Roseane Andrelo explica: “em poucas palavras, significa aprender/ensinar informações relevantes, produzir conhecimento e disseminá-lo junto à comunidade. Desta forma, uma formação universitária completa passa por essas três pontas da pirâmide. E é nas universidades públicas onde mais se encontram oportunidades, como iniciação científica, agência júnior, eventos culturais etc. Acredito que os alunos devam saber fazer a gestão do tempo para participar das atividades que mais se encaixem em seu perfil.”

E por falar em gestão do tempo, não há limites para a participação. Na faculdade, estar engajado é uma experiência fantástica! Vale a pena arriscar e experimentar de tudo, como fez Bruna Mantuan, atual trainee da Diretoria de Comunicação da RPjr: “No primeiro ano participei do núcleo de Relações Públicas da Rádio Unesp Virtual, entrei para o Centro Acadêmico de Comunicação, o Cacoff, para a Torcida Organizada Febre Amarela e para a Comissão de Formatura da minha classe. Fui parte da Comissão organizadora de alguns eventos durante o ano, como a Semana de Relações Públicas e o Inacarp – Integração Acadêmica dos Calouros de Relações Públicas. No segundo semestre do ano dei início a minha Iniciação Científica “As novas e novíssimas tecnologias na mediação do fato esportivo: uma abordagem a partir da ecologia da mídia” e também comecei a participar do grupo de estudos GECEF – Grupo de Estudos em Comunicação Esportiva e Futebol. Sem dúvida alguma, todas essas atividades deram a mim algum tipo de crescimento. Os desafios fizeram de mim uma pessoa mais responsável e todas as vezes que eu me empenhei pelo sucesso dos projetos recebi em troca esse chamado crescimento profissional, que ao meu ver me prepara cada vez mais para o mercado de trabalho.” É fácil perceber que esse contato “prévio” com o mercado de trabalho está mais próximo dos estudantes do que a maioria deles imagina quando ingressa no ambiente universitário.

Dentro da faculdade os calouros poderão ter contato com empresas juniores, como é o caso da RPjr; com centros acadêmicos e projetos de extensão. Um desses projetos é a Agência Propagação, um projeto de extensão fundado pela Professora Doutora Lucilene dos Santos Gonzales, que conta com a parceria da rádio Unesp FM. A agência de publicidade divulga projetos e ações sociais associados à Unesp através de propagandas sociais radiofônicas. Para Ricardo Pasquarelli Volpe, graduando do 4º ano de Design e Diretor de Comunicação Visual da Agência, a chance de participar do projeto fez com que fosse possível conviver com outras áreas (já que o projeto integra alunos de Design, Jornalismo, Rádio e TV e Relações Públicas); aprender a ser multifuncional e a lidar com uma maior responsabilidade e cumprimento de prazos, além de estimular a pró-atividade. Os alunos membros da Agência devem ainda frequentar o grupo de estudos de publicidade, mas há vários grupos na faculdade para aqueles que se interessem por outras áreas.

Existem ainda outras oportunidades que partem de iniciativa dos próprios alunos. É o caso da Comissão de Recepção dos Calouros e da Comissão de Formatura. “Fazer parte da Comissão de Recepção para mim foi um grande aprendizado e não estou dizendo apenas por todo trabalho de programação, de organização e responsabilidades adquiridas com a vinda dos calouros para Bauru, mas por fazer parte da concretização de cada sonho, de cada busca, de cada objetivo alcançado por cada um deles. Tudo isso me trouxe uma extensão de quanto é bom ajudá-los neste novo começo e de como esta experiência me agregou valores e lições que vão muito além da sala de aula.” – comenta Mariana Zaia, que participou da Comissão de Recepção dos Calouros de Relações Públicas em 2009. Para Giovanna Preti, integrante da Comissão de Recepção deste ano, é possível inserir as funções das relações públicas nas mais diversas atividades da comissão.

Além da Comissão de Recepção, os alunos se organizam também para formar a Comissão de Formatura, responsável por organizar a festa mais importante dos graduandos. “Os membros da comissão aprendem bastante com os compromissos assumidos, desde de ter uma conversa aberta com a sala sempre que necessário até de fazer o melhor negócio com uma empresa de formatura. Aprendi bastante com a comissão, as festas, os erros que cometemos ao negociar ou fechar contrato com algum terceiro, a administração do dinheiro arrecadado no decorrer dos anos, a lidar com pontos de vista diferentes do seu e chegar em um consenso, negociar com as empresas de formatura (o mais complicado de todos). Acho que pudemos tirar muito proveito de tudo, muitas coisas serviram como lição para nós que fomos principiantes em algumas coisas e nos serviu de bagagem para nossa vida e profissão.

Passamos por momentos complicados às vezes, temos que arriscar e torcer para dar certo. Acho que o mais importante da comissão, além de tudo que citei, é se comprometer com a sua turma e proporcionar uma festa de formatura que  todos curtam muito, saiam satisfeitos com o investimento que fizeram e levem grandes lembranças.” Diz Beatriz Bassan Stroppa, integrante da Comissão de Formatura de Relações Públicas 2012.

Além de todas as chances citadas, os alunos ainda podem participar da Atlética, do LabSol, ser líderes de torcida, fazer intercâmbio e muitas outras coisas.

 Passar no vestibular não é apenas sinônimo de início de festas ou de uma vida profissional promissora. Ser aprovado no vestibular é sinônimo de trabalhar ainda mais, trabalhar pesado e mostrar ao mundo o valor de todo esforço. Ser diferente dos outros profissionais do mercado de trabalho depende apenas da força de vontade que cada um tem de correr atrás e aprender. Não vai ser fácil, a gente garante, mas para todos os obstáculos e dúvidas a RPjr está sempre aberta para ajudar. Sejam bem vindos, calouros! Que a vontade de fazer esteja com vocês!

Thiago Siqueira

Diretoria de Comunicação

*A RPjr agradece imensamente a todos que contribuiram com depoimentos para a escrita deste post! Muito obrigado!